Consenho Nacional do Café
23.06 - CNC - Balanço Semanal de 19 a 23/06/2017 22.06 - RÁDIO CNC destaca sustentabilidade social da cafeicultura 21.06 - Colheita de café de cooperados da Cooxupé avança para 17,56% do total 16.06 - CNC - Balanço Semanal de 12 a 16/06/2017 09.06 - CNC - Balanço Semanal de 05 a 09/06/2017 06.06 - OIC: reexportação de café da União Europeia cai 1,75% em fevereiro de 2017 06.06 - Importação de café da UE cai 3,5% em fevereiro de 2017, aponta OIC 05.06 - OIC: Brasil responde por 34,35% da exportação mundial de café arábica em abril de 2017 05.06 - Embarques mundiais de café conilon caem em abril de 2017, informa OIC 02.06 - CNC - Balanço Semanal de 29/05 a 02/06/2017 30.05 - Procafé realizará Dias de Campo na Fazenda Experimental de Varginha 29.05 - Governo federal vai destinar R$ 4,9 bilhões para o setor cafeeiro 29.05 - #CaféForte: Veja como fazer o manejo de café com excelência 25.05 - Comunicado CNC: Projeto Café Forte e Prêmio CNC de Jornalismo 24.05 - CNC presta homenagens ao Dia Nacional do Café 23.05 - Estoques de café caminham para mínima histórica, diz CNC 22.05 - Colheita de café é praticamente "zero" ainda no Cerrado Mineiro 19.05 - CNC: com safra menor, Brasil segue reduzindo estoques de café 18.05 - Safra de café recua e previsão é de 45,5 milhões de sacas 16.05 - Cocatrel amplia seu estande para melhor atender os cooperados
Notícias - Pautas CNC

CNC - Balanço Semanal de 29/05 a 02/06/2017
P1 / Ascom CNC
02/06/2017


BALANÇO SEMANAL — 29/05 a 02/06/2017

Presidente do CNC, deputado Silas Brasileiro, lança pedra fundamental do projeto Café Forte e debate pesquisa e políticas públicas para o setor

CAFÉ FORTE — Na sexta-feira passada, 26 de maio, em Alpinópolis (MG), foi lançada a “pedra fundamental” do projeto Café Forte, que é realizado por CNC, Canal Rural e Cooxupé, conta com o apoio do Sistema OCB e tem coordenação técnica da Embrapa.

A inédita iniciativa pretende promover a conexão entre entidades, governo, cafeicultores, cooperativas, instituições de pesquisa e empresas para o desenvolvimento da cadeia produtiva do café. Haverá organização das estatísticas do setor, difusão de conhecimento e serão propostas reflexões sobre a cafeicultura e seu planejamento estratégico como um todo.

O presidente executivo do CNC, deputado federal Silas Brasileiro, entende que o projeto Café Forte auxiliará a cafeicultura nacional a ter um crescimento mais sustentável, obter fortalecimento de sua imagem interna e externamente e, ainda, a criar uma base sólida e confiável de informação do setor.

PESQUISA & DESENVOLVIMENTO — Na quarta-feira, 31 de maio, foi realizada a 27ª Reunião Ordinária do Comitê Diretor de Pesquisa e Desenvolvimento (CDPD) do Conselho Deliberativo da Política do Café (CDPC). Atendendo a uma solicitação do CNC, o gerente geral da Embrapa Café, Gabriel Bartholo, apresentou os principais resultados obtidos por meio dos trabalhos do Consórcio Pesquisa Café, como variedades com características de elevada produtividade, tolerância a estresses bióticos e abióticos e alta qualidade de bebida.

Também foram destacados os avanços obtidos em biotecnologia, com o projeto Genoma Café tendo sequenciado e identificado mais de 33 mil genes de expressão de características de qualidade e tolerância a estresses bióticos e abióticos de três espécies do gênero Coffea. Os resultados desse projeto estão sendo aplicados na produção de híbridos superiores do fruto, com múltiplas características agronômicas desejáveis e que apresentam resistência à ferrugem e tolerância à seca e a temperaturas elevadas. O Genoma Café tem como vantagem principal a redução do tempo necessário no melhoramento genético do cafeeiro para 6 a 8 anos, ante as três décadas dos métodos convencionais.

Bartholo listou as tecnologias desenvolvidas pelo Consórcio Pesquisa Café em fase de transferência aos produtores: (i) uso racional da água com estresse hídrico controlado, visando ao aumento da qualidade do café; (ii) cultivo de braquiária nas entrelinhas do cafeeiro, com impacto de melhora da qualidade do solo; (iii) monitoramento de pragas e doenças; (iv) podas programadas para rejuvenescimento da lavoura; (v) nutrição equilibrada; e (vi) sistema de cultivo para colheita mecânica em área de montanha.

O representante da Embrapa apresentou, ainda, pesquisas que vêm sendo conduzidas atualmente no Sul de Minas para a caracterização de ambientes cafeeiros voltados ao cultivo de cafés especiais. Em relação à variedade robusta, destacou os “Jardins clonais de Coffea canephora superadensados com arqueamento constante”, tecnologia  que visa a reduzir o tempo necessário para a obtenção de “estaquinhas” para a produção de mudas; e a colheita mecanizada do café conilon, que se transforma em realidade no campo com o desenvolvimento de conceitos e a adaptação de maquinário.

Por fim, foi informado que a Embrapa Café realizou uma prospecção junto às entidades da cadeia produtiva, a qual resultou em temas para uma nova chamada de projetos de pesquisa junto ao Consórcio, em 2018, caso haja disponibilidade orçamentária.

O presidente executivo do CNC, deputado Silas Brasileiro, destacou a importância do desenvolvimento de um planejamento estratégico para a pesquisa cafeeira, com gestão baseada em resultados e ressaltou a necessidade de maior detalhamento das metas alcançadas até o momento pelos 92 projetos de pesquisa do Consórcio, inclusive para embasar a priorização de temas para o desenvolvimento de novas pesquisas e ações de transferência de tecnologia.

Brasileiro argumentou que o planejamento estratégico poderá embasar um plano de comunicação e de promoção das ações do Consórcio Pesquisa Café, o qual deverá ser utilizado para captar recursos da iniciativa privada para o desenvolvimento de projetos de pesquisa. A Embrapa Café informou que já está produzindo um sistema de informação on-line que permitirá o acompanhamento do andamento de todos os projetos do Consórcio, iniciativa que vem ao encontro da demanda do CNC.

O representante da Fundação Procafé, André Luís Alvarenga Garcia, destacou a importância de concentração das ações de pesquisa nas instituições e equipes que possuem maior expertise nos temas a serem explorados e também chamou a atenção para a necessidade de uma iniciativa que garanta maior capacitação e envolvimento da próxima geração de “melhoristas” em projetos de desenvolvimento de cultivares de café.

Por fim, o presidente executivo do CNC afirmou que fará todas as gestões necessárias junto aos ministros da Agricultura, do Planejamento e da Fazenda para garantir orçamento para a pesquisa cafeeira em 2018, ressaltando sua importância fundamental para a ampliação da competitividade da cafeicultura brasileira.

POLÍTICA PÚBLICA CAFEEIRA — Em reunião com o diretor do Departamento de Café, Cana de Açúcar e Agroenergia do Ministério da Agricultura, Silvio Farnese, o presidente executivo do CNC tratou de assuntos relacionados a políticas públicas para a cafeicultura. Sobre a liberação dos recursos do Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé) na safra 2017, Silas Brasileiro ouviu do representante governamental que o capital para a linha de Custeio estará à disposição para ser tomado a partir de 1º de julho, conforme conquista que obtivemos junto à área econômica do Governo Federal.

MERCADO — Em meio à volatilidade e a uma semana mais curta devido ao feriado do Memorial Day, na segunda-feira (29/05), nos Estados Unidos, os futuros do café arábica recuaram no mercado internacional. A queda foi motivada pelo avanço da colheita brasileira e – apesar da leve retração semanal de 0,6% ante o real – pelo fato de o dólar ainda se encontrar em patamar valorizado.

Ontem, no Brasil, a moeda norte-americana avançou puxada por aquisições de importadores e seguindo o fortalecimento no exterior. O dólar ganhou força desde cedo ante as principais divisas e o ajuste cresceu com o bom desempenho na criação de empregos, no setor privado, em maio, nos Estados Unidos. A moeda encerrou a sessão a R$ 3,2467.

Na Bolsa de Nova York, o vencimento julho do Contrato C foi cotado a US$ 1,2770 por libra-peso na quinta-feira, com declínio de 350 pontos na comparação com o fechamento da semana anterior. O vencimento julho do contrato futuro do robusta, na ICE Futures Europe, apresentou perdas de US$ 10, encerrando o pregão de ontem a US$ 1.981 por tonelada.

As cotações do café arábica, no Brasil, permaneceram em queda, pressionadas pelo desempenho internacional, o que fez com que os agentes se afastassem do mercado. O indicador calculado pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) para a variedade recuou 1,68% na semana, situando-se em R$ 451,23/saca. Já o indicador do café robusta avançou 1,38% no período, para R$ 424,96/saca, sendo alavancado pela retração da ponta vendedora.


Atenciosamente,

Deputado Silas Brasileiro

Presidente Executivo

NY - ICE US (US$ cents / lb-peso)
Contrato 22/06/17 23/06/17 Dif.
Jul/17 113,45 119,95 6,50
Set/17 116,50 123,00 6,50
Dez/17 120,05 126,55 6,50
ICE Europe (US$ por tonelada)
Contrato 22/06/17 23/06/17 Dif.
Jul/17 2014 2063 49,00
Set/17 2030 2078 48,00
Nov/17 2015 2056 41,00
SP - BM&FBovespa (US$/saca)
Contrato 21/06/17 22/06/17 Dif.
Jul/17 139,15 131,35 - 7,80
Set/17 144,50 137,70 - 6,80
Dez/17 148,25 140,90 - 7,35
CEPEA ESALQ/USP (R$ a vista)
Variedade 21/06/17 22/06/17 Dif.
Arábica 6 439,65 424,37 - 15,28
Robusta 6 407,64 399,87 - 7,77
Dólar Comercial
US$ 1 21/06/17 22/06/17 Dif.
R$ 3,333 3,336 0,00
CNC - Sede Brasília (DF)
SCN Qd. 01, Bloco C, nº 85, Ed. Brasília Trade Center - Sala 1.101
Brasília (DF) - CEP: 70711-902
Fone / Fax: (61) 3226-2269 / 3342-2610
E-mail: presidente@cncafe.com.br
CNC - Representação São Paulo (SP)
R. Treze de Maio, nº1558 - 6º andar
Bela vista, São Paulo (SP) - CEP: 01327-002
Fone: (11) 3284-6800 / Fax: (11) 3287-4600
E-mail: presidente@cncafe.com.br

Desenvolvido por Solute